PERFIL – Marcelinho Carioca

PERFIL

marcelinhocarioca

Marcelinho Carioca (Marcelo Pereira Surcin) nasceu no Rio de Janeiro, no bairro de Sulacap. De origem humilde, vendia picolés, refrigerantes e salgados nas praias cariocas para ajudar no sustento da família.
Filho do gari Adilson Surcin da Silva e da dona de casa Sueli Pereira da Silva, Marcelinho tem três filhos: Lucas, de 21 anos e os gêmeos Matheus e Marcela, de 17 anos.

É formado em Técnico em Mecânica pela Escola Técnica Visconde de Mauá. Cursou Educação Física e, atualmente, está terminando o curso de Jornalismo na Faculdade Rio Branco, em São Paulo, cidade onde vive há mais de 20 anos.

Marcelinho iniciou sua carreira no Madureira Esporte Clube, em 1979, onde atuou por sete anos e foi campeão da Taça Rio em 1986. Em virtude das suas boas atuações, ainda em 1986 foi comprado pelo Clube de Regatas do Flamengo por 500 mil cruzados. Atuou no rubro-negro carioca por sete anos e foi campeão da Copa do Brasil (1990), campeão Carioca (1991) e pentacampeão brasileiro (1992).

Vendido em 22/12/1993 por US$ 500 mil dólares, chegou ao Sport Clube Corinthians Paulista para fazer história e vir a ser considerado o maior jogador da história corintiana, sendo eleito “Senhor do Centenário” nos 100 anos do Clube. Foram nove anos de atuação conquistando 10 títulos, marcando 206 gols, em 432 jogos, e encerrando sua trajetória no Corinthians como o 5º maior artilheiro do clube.

 

linhadotempo

1979 – inicia carreira no futebol no Madureira Esporte Clube

1986 – Vai para o Juvenil do Flamengo

1988 – Pelas mãos de Telê Santana estreia no profissional aos 16 anos de idade, no dia 30/11, no clássico Fla x Flu. Entra aos 11 minutos do 1º tempo no lugar de Zico. O Flamengo vence por 1×0 com gol de Bebeto.

1993 – É vendido para o Corinthians. Chega ao clube em 23/12 para fazer história durante quase nove anos.

1994 – Veste a camisa da seleção brasileira numa disputa contra a Iugoslávia.

1996 – Disputa amistosos pela seleção brasileira contra Rússia e Inglaterra.

1997 – É vendido para o Valência, da Espanha. Eduardo José Farah, presidente da Federação Paulista de Futebol na época, compra o passe do jogador junto ao Valência. Depois cria o “Disque Marcelinho”, para o qual, por telefonema, os torcedores dos quatro maiores clubes do estado, São Paulo, Palmeiras, Santos e Corinthians,  escolhem o futuro do jogador. Assim, ele volta ao Timão.

1998 – Disputa amistosos com a camisa da seleção brasileira contra Iugoslávia, Equador e USA.

2001 – Pela seleção, disputa eliminatória para Copa contra o Peru.

2002 – É vendido para o Gamba Osaka, do Japão.

2003 – Retorna ao Brasil para vestir a camisa do Vasco. É campeão Carioca, campeão da Taça Rio e Campeão da Taça Guanabara. Em agosto do mesmo ano é vendido para o All Nassar, da Arábia.

2004 – Retorna ao Vasco e conquista a Taça Rio. Em Junho é vendido para o Ajaccio, da França

2006 – Volta a vestir a camisa do Corinthians. Torna-se o maior colecionador de títulos com a camisa corintiana em quase nove anos pelo clube, com 10 títulos: o Mundial de Clubes da FIFA de 2000, dois títulos do Campeonato Brasileiro de Futebol, uma Copa do Brasil, quatro Campeonatos Paulistas, uma Copa Bandeirantes e um Troféu Ramón de Carranza.

2007 – Vira comentarista esportivo na Rede Bandeirantes de Televisão. Em junho é contratado pelo Santo André, forma o Clube Empresa S.A e ajuda a equipe do ABC ser campeã paulista e vice-campeão da série B.

2009 – Leva o Santo André a retornar a elite do futebol, na série A.

2010 – Encerra a carreira no dia 14/01 vestindo a camisa do timão contra o Huracan. O Corinthians vence por 3×0. Com o título “Senhor do Centenário” encerra a carreira como Embaixador do Centenário sendo relacionado a vários eventos dos 100 anos do clube.

Hoje – É empresário e comunicador. Faz parte da equipe esportiva da rádio Transamérica e é âncora do Programa de televisão Virando o Jogo, na rede RBI. Atua na área do terceiro setor de responsabilidade social, a frente do Instituto Marcelinho Carioca.